Menu

Posts Destaques

31 agosto, 2017

#FILME : ATÉ O ÚLTIMO HOMEM: VALE A PENA ASSISTIR?


Para quem ainda não assistiu, o filme é do produtor Mel Gibson. Depois de enfrentar diversos problemas (com drogas e alcoolismo), Mel Gibson retorna aos cinemas, e por sinal, voltou com tudo! Seu filme - Hacksaw Ridge - que recebeu o título em português de Até o Último Homem, fascinou os amantes de cinemas, e como sabem, o filme foi indicado pela Academia de Hollywood a seis indicações no
Oscar2017.

Um resumo
O filme retrata a história do médico e cristão, e Adventista do Sétimo Dia, Desmond Doss, durante sua participação na Batalha de Okinawa. Sendo cristão, Doss recusou-se em pegar em armas. Ao invés disso, decidiu servir ao exército americano defendendo o seu país de uma maneira incomum: salvar e recuperar os feridos ao invés de matar. Mas, a decisão de não portar arma trouxe-lhe várias consequências e problemas com seus superiores, que insistiam que ele também fizesse o porte de arma e trabalhasse aos sábados. E em alguns momentos, Desmond Doss interpretado pelo ator anglo-americano Andrew Garfield, sofre vários preconceitos devido a sua posição incomum, mas mesmo assim, ele mantém-se firme até ao fim, salvando 75 homens na batalha.

Minha experiência com o filme
Confesso que fiquei extremamente curioso para assistir a este filme mesmo antes de sua publicação aqui no Brasil, (que ocorreu no dia 26 de janeiro deste ano). Porém, apesar de minha curiosidade, eu estava bem convicto de que o filme falaria ou apresentaria tudo, menos uma verdadeira história de fé. Eu sabia que o filme tinha outros propósitos! Propósitos estes, que jamais seriam exaltar o adventismo, o cristianismo, a fé cristã, muito menos o soldado Desmond Doss. E ao assistir ao filme, apenas confirmei este meu pensamento. Confesso que no momento senti-me profeta, ao ver que tudo o que eu havia previsto sobre o filme estava se cumprindo diante de meus olhos.

Soube de vários irmãos Adventistas do Sétimo Dia que ficaram indignados com este filme, pois ele parece mais com um filme de guerra comum, ao invés de um filme sobre fé. Aqui eu aproveito para fazer uma pergunta: o que vocês esperavam ver em um filme de Hollywood? Estudo bíblico? 

É o que já mencionei acima, assisti ao filme, apenas com um propósito, confirmar que Mel Gibson não produziu este filme para cristãos, muito menos para Adventistas. Para quem assistir (não recomendo), ficará claro que o produtor tinha a intenção de produzir algo que, primeiro, o tiraria do anonimato (pois, estava afastado dos cinemas e vivenciando com inúmeros problemas), segundo, achar de novo um espaço em Hollywood, e terceiro, fazer muito dinheiro com o filme. E por sinal, ele conseguiu facilmente impressionar Hollywood, como também fazer muito Money💰💰 (dinheiro)!

Mas alguém poderá dizer: “ Como você sabe disso? ” A resposta já mencionei várias vezes acima. Assistindo ao filme qualquer um consegue entender o que estou dizendo. Veja, o filme tem duração de 2 horas, 10 minutos e 42 segundos, isso mesmo, é muito tempo! Mas durante este tempo todo, apenas em alguns minutos (do minuto 36 ao 53) é que aparece as partes onde Desmond Doss expõe claramente suas crenças e princípios. E o resto do tempo? Bem o resto é dedicado a batalha. Estes são momentos difíceis de engolir. É muita guerra, sangue por todo o lado, braços e pernas amputados de forma grosseira e terrível, cabeças rolam por todos os lados, para não dizer que tripas dos soldados estouram das formas mais grosseiras possíveis! Não é recomendado para quem se senti mal com esse tipo de filme. E tudo isso dura cerca de 1 hora e mais alguns minutos.

Conclusão
Uma matéria do Portal G1, intitulado: “Até o último homem', de Mel Gibson, é 'Jesus na guerra' com muita fé e violência. ” Traz as palavras de Mel Gibson sobre seu filme:
"Desmond Doss sofre de quatro fetiches e não nega: a fé, o herói, a violência e o clichê. Fé no sentido cristão, moral. Herói não no sentido de superpoderes, máscara e fantasia justinha, mas, sim, de gente da vida real que triunfa na guerra. Violência no sentido de sangue, esquartejamento, tiro na cara (no olho, se possível), amputações involuntárias de membros."
Leia o artigo na íntegra: Até o Último Homem .

Sacou os ingredientes do filme? Agora vou responder a seguinte pergunta: “vale a pena assistir este filme?” A minha resposta seria: depende do que você busca no filme. Se estás querendo ver o filme com o objetivo de assistir a uma verdadeira história de fé, lamento em dizer, mas, este NÃO É O FILME. Agora, se você pretende assistir a um BOM filme de GUERRA e MUITAAAA VIOLÊNCIA, este é o filme recomendado (mas não recomendo)! A única coisa boa que talvez esse filme trouxe foi despertar a curiosidade nas pessoas em pesquisarem para saberem quem são os Adventistas do Sétimo Dia, tal como ocorreu aquando da tentativa de Ben Carson, em candidatar-se às eleições presidenciais americanas.

Depois dos exageros, e uma ampla distorção dos evangelhos em A PAIXÃO DE CRISTO, Mel Gibson apenas provou em ATÉ O ÚLTIMO HOMEM, que, uma fonte de água salgada não pode dar água doce e vice-versa! O filme, ao meu ponto de vista, não edifica, apenas entretém.

Estou doido para ler o livro O SOLDADO DESARMADO, que conta a mesma história de Desmond Doss. O livro foi publicado pela CPB, e acho que talvez este livro vai trazer aos adventistas e cristãos, uma verdadeira história de fé e princípios. Adquira o livro aqui: CPB.





6 comentários:

  1. De fato essa é abordagem desse filme, não assistir, acho que também não vai edificar pra quem achar que é apenas uma história de fé e que edificará sua espiritualidade, asseguramos que não! Mais uma vez, parabéns pelo blog

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Saudades de você meu amigo. Logo , logo, estarei em PE.

      Eliminar
  2. Assisti o filme faz um tempo, e realmente é muito violento, fechei os olhos em boa parte do filme....não gosto de ver gente morta nem em tela.....ui. 🙈

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Volte sempre aqui Vilma. Deus te abençoe sempre!

      Eliminar
  3. Eu acho que é um filme de manter suas crenças firmes. Desmond não matou por isso, e ele conseguiu se tornar um herói. Andrew Garfield é um homem muito carismático e professional, se entrega a cada um dos seus projetos e ele fez um grande papel de protagonista. Na minha opinião, foi um dos mehores filmes 2017 que foi lançado. O ritmo é bom e consegue nos prender desde o princípio O filme superou as minhas expectativas, o ritmo da historia nos captura a todo o momento. Além, acho que a sua participação neste filme de drama realmente ajudou ao desenvolvimento da história.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Fernanda Andrade! Grato por ter lido meu texto aqui-e agradeço pelo seu comentário. É interessante essa tu outra analise do filme. Volte sempre, hehehe!

      Eliminar